Falando hoje em conferência de imprensa, Álvaro Massingue, vice-presidente da CTA, maior associação empresarial do país, avançou que até ao final do ano os prejuízos na faturação das empresas moçambicanas vão ascender a 951 milhões de dólares (803 milhões de euros), o correspondente a cerca de 7% do Produto Interno Bruto (PIB).

"O setor da hotelaria e turismo figura como o mais afetado, tendo registado uma retração do nível de atividade em mais de 75%", declarou Álvaro Massingue.

Os efeitos do novo coronavírus, prosseguiu, provocaram uma redução de cerca de 65% no nível de atividade empresarial nos primeiros seis meses deste ano e causaram uma quebra de 49% no Índice de Robustez Empresarial.

Ao nível do emprego, a covid-19 levou à suspensão de 30 mil contratos de trabalho no setor privado, de janeiro a junho deste, projetando-se que a cifra atinja 63 mil postos de trabalho suspensos, até ao final de 2020, continuou Álvaro Massingue.

"O contínuo crescimento do número de empregos suspensos irá dever-se, essencialmente, às perspetivas setoriais que irão caraterizar o segundo semestre do ano", sustentou Massingue.

O impacto negativo da pandemia no emprego abalou principalmente o turismo e hotelaria, que viu 40% dos postos de trabalho serem suspensos e com tendência de agravamento nos próximos meses.

"Devido a este quadro adverso gerado pelos efeitos da covid-19, o crescimento da economia moçambicana em 2020 poderá registar um abrandamento face ao ano anterior, em que a economia cresceu em 2,2%", assinalou o vice-presidente da CTA.

Para este ano e como consequência do novo coronavírus, o Produto Interno Bruto (PIB) poderá cair para 1,1%, num cenário otimista, ou para 0,5% negativos, num quadro pessimista.

"O cenário pessimista é considerado, atualmente, o mais provável e fundamenta-se pela rigidez estrutural da economia moçambicana, a manutenção do estado de emergência no segundo semestre do ano e a manutenção das restrições de entrada e saída nos principais parceiros comerciais de Moçambique, como é o caso da África do Sul", enfatizou Álvaro Massingue.

Contudo, a tendência de queda da economia do país pode ser invertida, ainda que timidamente, por força do alívio de medidas do estado de emergência e da evolução da economia da África do Sul, que representa cerca de 30% do volume do comércio externo de Moçambique, observou Massingue.

Moçambique regista 19 óbitos e 2.559 casos de covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 743 mil mortos e infetou mais de 20,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela AFP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.