Apontando para cerca de 195 mil passageiros afetados globalmente durante os dois dias pela paralisação, que visa reivindicar melhores salários, a companhia aérea britânica justificou, em comunicado, o cancelamento dos voos durante a greve por não ter “forma de prever quantos [pilotos] comparecerão ao trabalho e que aviões estão qualificados para pilotar”.

Em Portugal, a agência Lusa constatou na página eletrónica da ANA — Aeroportos de Portugal terem já sido canceladas pelo menos seis partidas (três do Aeroporto de Lisboa e outras tantas do Aeroporto de Faro) e seis chegadas (quatro em Faro e duas em Lisboa) de voos da British Airways de e para Londres.

Para hoje estão previstas — e ainda não dadas como canceladas na página da ANA — duas partidas da British Airways (uma de Faro, às 17:35 e outra do Porto, às 20:20) e uma chegada ao Aeroporto de Lisboa (às 23:15).

Já para terça-feira estão agendadas uma partida de Faro e quatro de Lisboa, enquanto ao nível das chegadas estão previstas uma a Faro, outra ao Porto e quatro ao aeroporto de Lisboa.

Convocada pelo sindicato Balpa para hoje, terça-feira e dia 27 de setembro, a greve dos pilotos da companhia de bandeira britânica deverá afetar dezenas de milhares de viajantes, já que a empresa opera cerca de 850 voos diários no Reino Unido, sobretudo a partir dos aeroportos de Heathrow e Gatwick, em Londres.

A British Airways afirma-se pronta para retomar as negociações com o sindicato e diz ter disponibilizado aos clientes afetados as opções de reembolso ou de reagendamento dos voos afetados, tendo-os previamente informado da realização da greve.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.