A estimativa consta do Boletim Macrofiscal divulgado hoje pela Secretaria de Política Económica (SPE) do Ministério da Economia do Brasil.

O Governo brasileiro também fez uma revisão de aumento para o PIB de 2019 que passou de 0,9% para 1,12%.

Os dados oficiais sobre o desempenho da economia do Brasil no ano passado serão divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em março.

O otimismo explica-se, segundo o boletim divulgado pelo Governo brasileiro, por mudanças nos indicadores de atividade económica que têm apresentado resultados acima da expectativa de mercado.

Além disso, o boletim frisou que no segundo semestre de 2019 o Governo brasileiro promoveu ações que resultaram numa “parcela fundamental da retomada do crescimento”, a partir dos estímulos dados pela libertação de recursos, que se deve estender ao longo do primeiro trimestre de 2020.

Outro fator que contribuiu foi a redução das taxas de juros no país, que está no valor mínimo histórico de 4,5% ao ano e que também deve começar a apresentar efeitos na atividade económica no primeiro semestre de 2020, especialmente a partir do segundo trimestre.

Agentes do mercado financeiro, consultados pelo Banco Central brasileiro semanalmente na elaboração do boletim Focus, estimaram na segunda-feira um aumento de 1,17% do PIB do Brasil em 2019, para 2,3% em 2020.

O Governo brasileiro também reviu projeções sobre o aumento de preços no país em 2020, que passou de 3,53% para 3,62%, dentro da meta fixada pelo Banco Central brasileiro de 4%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Na semana passada, o IBGE informou que a inflação no Brasil fechou o ano de 2019 em 4,31%, acima do centro da meta e dentro da margem de tolerância para o período que havia sido fixada em 4,25%.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.