Cerca das 09:05 em Lisboa, o EuroStoxx 600 subia 0,30% para 388,32 pontos.

As bolsas de Londres, Paris, Frankfurt subiam 0,28%, 0,34% e 0,14%, bem como as de Madrid e Milão, que avançavam 0,36% e 0,66%, respetivamente.

Depois de ter aberto em alta, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e cerca das 09:05 o principal índice, o PSI20, subia 0,62% para 5.184,96 pontos.

Os mercados europeus estavam hoje contagiados com os máximos registados na quarta-feira em Wall Street depois do presidente da Fed, Jerome Powell, ter alertado para piores perspetivas económicas nos Estados Unidos devido às "tensões comerciais" e à "debilidade global", numa clara referência da possibilidade de um corte das taxas de juro no final do mês.

Se finalmente a Fed descer as taxas de juro esta será a primeira vez desde 2008.

O presidente da Fed, Jerome Powell, compareceu na quarta-feira na comissão de serviços financeiros da Câmara de Representantes, onde apresentou o relatório semestral de política monetária.

Na quarta-feira, a bolsa de Wall Street terminou em alta, com o Dow Jones a subir 0,29% para 26.860,20 pontos, contra o atual máximo desde que foi criado, em 1896, de 26.966,00 pontos, em 03 de julho.

No mesmo sentido, o Nasdaq fechou a subir 0,75% para 8.202,53 pontos, novo máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu hoje em alta, a cotar-se a 1,1269 dólares, contra 1,1259 euros na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro abriu hoje em baixa, a cotar-se a 66,81 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,20 dólares do que no fim da sessão anterior.

O barril de petróleo Brent esteve acima dos 85 dólares no início de outubro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.