O director do Banco Mundial em Moçambique, Mark Lundell, afirmou que o financiamento resulta de verbas canalizadas pela sua instituição e pela União Europeia, Noruega e Suécia.

"O Banco Mundial entende que são necessários recursos financeiros significativos para alcançar o acesso universal à energia elétrica", disse Mark Lundell na cerimónia de assinatura do financiamento em Maputo.

Apesar dos progressos alcançados recentemente, apenas 20% dos moçambicanos têm acesso à energia eléctrica, um nível abaixo da taxa média da África Austral, que é de 38%.

"Considerando as ambições para alcançar o acesso universal em Moçambique, a implementação da estratégia nacional requer a adoção de múltiplas políticas de electrificação, incluindo a densificação de áreas já electrificadas e a expansão da rede nacional para todas as áreas onde isso é economicamente viável", declarou o director do Banco Mundial em Moçambique.

Por seu turno, o ministro dos Recursos Minerais e Energia de Moçambique, Max Tonela, referiu na ocasião que o Governo aborda o acesso energético como fundamental para a melhoria das condições de vida das populações mais pobres.

"A área de infraestruturas é um dos pilares da nossa governação e essa aposta inclui a energia eléctrica", garantiu Max Tonela.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.