“A decisão é fundamentada pelo facto de as perspetivas de curto e médio prazos continuarem a mostrar que a inflação anual geral poderá situar-se em um dígito, até ao final do presente ano”, justificou.

A inflação anual fixou-se em 3,52% em dezembro último, contra 5,65% em igual período de 2017, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

As perspectivas baseiam-se “na redução do preço do combustível no mercado internacional e na estabilidade de preços dos principais parceiros comerciais de Moçambique, num contexto de contenção da procura agregada”, acrescentou o CPMO do Banco de Moçambique.

Ainda assim, “riscos e incertezas subjacentes às projeções da inflação tornaram-se mais proeminentes”, pelo que o comité “considera oportuno manter uma postura de política monetária prudente”.

O banco central decidiu, na reunião de hoje, manter também as taxas da Facilidade Permanente de Depósitos (FPD) e da Facilidade Permanente de Cedência (FPC) em 11,25% e 17,25%, respectivamente.

O CPMO manteve ainda os coeficientes de Reservas Obrigatórias (RO) para os passivos em moeda nacional e em moeda estrangeira em 14% e 27%, respectivamente.

O banco central prevê “uma ligeira aceleração do PIB no IV trimestre de 2018 e em 2019, sustentada pela melhoria da procura interna”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.