"O BAD e outras organizações multilaterais são parceiros chave nos esforços de desenvolvimento de Angola e Moçambique", disse Javier Colato quando questionado pela Lusa sobre qual a importância do BAD, cujos Encontros Anuais começam hoje em Malabo, para estes dois países africanos.

"Ao fornecerem doações e empréstimos, estas instituições financiam um conjunto alargado de projetos para promover o desenvolvimento e o crescimento dos países", acrescentou o analista, lembrando o caso do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Angola.

"O FMI tem estado a apoiar o Governo angolano na implementação de um programa de estabilização macroeconómica que está focado no fortalecimento da sustentabilidade das finanças públicas, na redução da inflação e num setor financeiro mais estável", disse Javier Colato.

Os esforços, no valor de 3,7 mil milhões de dólares, "parecem ter começado a dar frutos, já que a economia angolana finalmente regressou ao crescimento económico no primeiro trimestre", concluiu.

Os Encontros Anuais do Banco Africano de Desenvolvimento começam hoje em Malabo, a capital da Guiné Equatorial, e prolongam-se até sexta-feira, tendo como tema a Integração Regional, num contexto da entrada em vigor do primeiro acordo de livre comércio generalizado em África.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.