Grant Baker esteve em grande forma na bateria decisiva e conseguiu uma pontuação total de 25,04 pontos, deixando o brasileiro Lucas Chianca (que tinha vencido a última edição da prova) no segundo posto (23,31 pontos) e o basco Natxo Gonzalez no terceiro (22,71 pontos).

Os portugueses Alex Botelho (22,06 pontos) e João de Macedo (20,87 pontos) terminaram no quarto e quinto lugares, respetivamente, ficando apenas à frente do australiano Russell Bierke (18,89 pontos), sexto classificado.

Numa final com condições ‘de sonho’ e com as maiores ondas a aproximarem-se dos 15 metros, os competidores levaram ao delírio a multidão que se deslocou à Praia do Norte para ver o ‘canhão’ a funcionar.

A Nazaré recebeu pela terceira vez uma prova deste circuito, que conta com mais duas etapas: Mavericks, na Califórnia, e Jaws, no Havai, estando o período de espera em curso até 31 de março de 2019.

O australiano Jamie Mitchell venceu a primeira edição da competição nazarena, em dezembro de 2016, e o brasileiro Lucas Chianca a da época passada, em fevereiro último.

Cada ‘heat’ da prova, que tem um prémio monetário de 100.000 dólares (88.213 euros, ao câmbio de hoje), opõe seis surfistas, durante 45 minutos, qualificando-se para as rondas seguintes os três primeiros colocados.

A final da prova, que prevê ainda a atribuição de um prémio de 1.000 euros para o protagonista da onda mais desafiante, teve uma duração de 60 minutos e contou com ‘big riders’ (surfistas de ondas grandes) de Portugal, Brasil, Espanha, Austrália e África do Sul.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.