“Após todos estes anos, esta não era a forma que imaginava de me despedir do meu clube e de todos vós, mas espero que guardem convosco aquilo que sinto!!! Que sou e sempre serei um Leão!!”, escreveu o antigo guarda-redes do Sporting, que na próxima época estará no Wolverhampton, que subiu esta época à ‘Premier League’, após 18 anos no clube, ao qual chegou com 12 anos.

Rui Patrício, que invocou rescisão com justa causa para a saída, diz que “suportou e viveu muitas situações menos positivas”, para poder representar o seu clube.

“Dei sempre o máximo de mim e sendo soberana a minha vontade de honrar a camisola que vestia desde os meus 12 anos, bem como transmitir esses valores para todos os meus colegas, enquanto um dos capitães e um dos jogadores com mais anos de casa desta equipa, que sempre me orgulhou e irá continuar a orgulhar pela sua força e determinação genuínas!”, acrescentou.

“(…) também sou um ser humano… de carne e osso, igual a todos vocês, e por isso tive de tomar uma decisão. Os motivos que me levaram a sair são hoje conhecidos por todos vós… São de conhecimento público… as causas descritas na minha rescisão. Nunca faltei ao respeito a ninguém nem nunca o irei fazer, pois o meu silêncio até hoje, foi exclusivamente por respeito a todos!”, adianta ainda.

Rui Patrício recorda que a continuidade se “tinha tornado insustentável”. “Por comprometer a minha produtividade profissional perante o meu clube, e por essa razão, não estariam jamais reunidas as condições para exercer a minha atividade profissional no Sporting”, explica.

“Esta foi a minha casa durante 18 anos, sim a minha casa! Passei mais tempo no Sporting do que em casa dos meus pais… Para além dos meus pais… Sim foi o Sporting que me formou e me transformou naquilo que sou hoje, não só enquanto sportinguista, mas também enquanto profissional e ser humano. Foi sem dúvida uma casa que me criou a todos esses níveis!”, escreve ainda o antigo capitão dos ‘leões’.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.