Depois de ter perdido o primeiro encontro por 1-0, em Curitiba, no Brasil, a equipa argentina, vencedora da Taça Libertadores, virou a final a seu favor durante a segunda parte, período durante o qual marcou os três golos, conquistando o 10.º título em cinco anos sob o comando do treinador Marcelo Gallardo.

Após um ‘nulo’ ao intervalo, o médio Ignacio Fernandez inaugurou o marcador aos 65 minutos, na recarga a uma grande penalidade que o guarda-redes brasileiro defendeu inicialmente para o poste, tendo os golos marcados pelos avançados Lucas Pratto, aos 90+1, e Matias Suarez, aos 90+5, assegurado ‘fora de horas’ a conquista do troféu.

O River Plate conquistou pela terceira vez a Supertaça sul-americana, que opõe o campeão continental ao vencedor da Taça Sul-americana, reeditando os êxitos de 2015 e 2016, ambos sob a liderança técnica de Gallardo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.