Já passaram cinco anos desde que a Federação Moçambicana de Futebol anunciou a construção de um estádio municipal na cidade de Maxixe, em Inhambane, sul de Moçambique.

Em 2018, o Governo provincial aprovou o projeto financiado pela FIFA, a Federação Internacional de Futebol. E, em 2019, foi assinado o contrato para construção do estádio, no valor de cerca de quatro milhões e quinhentos mil dólares. Assinaram o documento Alberto Simango Júnior, anterior presidente da Federação Moçambicana de Futebol, e Dajin Chen, na altura diretor-geral da empresa chinesa Julen Construções.

Mas, na semana passada, o atual presidente da Federação Moçambicana de Futebol, Faizal Sidat, a anunciou que a construção do estádio municipal já não será possível, porque acredita que não será sustentável.

Novo projeto

A verba da FIFA servirá agora para reabilitar o antigo campo desportivo da cidade de Maxixe, denominado Fernando Gomes, construído na era colonial, ou seja, para colocar relva sintética e aumentar as bancadas.

"Este projeto é substituição do anterior que era para ser um estádio. O que nos pretendemos é a massificação. A partir de abril começamos com as obras, penso até setembro vamos ter o campo. Ainda estamos a trabalhar nos orçamentos e a própria FIFA vai lançar o concurso, queremos a transparência possível", explicou Sidat.

No entanto, o edil de Maxixe, Fernando Bambo, afirma que o município já estava preparado para receber novo estádio. E já tinha indemnizado as famílias que viviam no local onde deveria ter sido erguido o estádio.

"Nós já tínhamos indemnizado as benfeitorias e demos o Direito de Uso e Aproveitamento de Terra para aquele espaço. Vai ser um campo com dimensões internacionais e também com uma capacidade de cerca dois mil espetadores e para nós é uma grande vitória".

Cidadãos surpresos

Egídio Agostinho, residente na cidade de Maxixe, diz que a não construção do estádio municipal surpreendeu muitos cidadãos. "A falência do projeto para mim não é bem-vinda porque construir campo lá em Mangapana seria dar espaço para o desenvolvimento de infraestruturas".

Já para Tofane Abibo, outro munícipe, a construção de um estádio municipal na cidade de Maxixe seria um desperdício de dinheiro.

"O próprio campo que ia ser construído em Mangapana seria um estádio de dimensões nacionais e isto para mim seria desperdício de dinheiro, porque aqui não temos nenhuma equipa nos jogos nacionais ou internacionais", justificou.

por:content_author: Luciano da Conceição (Inhambane)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.