“No sábado, terminou a semana mundial dos trabalhadores da saúde e, juntamente com a Unicef, quero expressar o meu profundo agradecimento pelo trabalho que desempenham”, escreveu Messi na sua conta pessoal no Instagram, acompanhado por uma fotografia em que mostra um profissional de saúde a segurar um bebé.

Naquela rede social, o jogador, de 32 anos, destacou “o compromisso nobre dos heróis anónimos, que passam longos dias e noites longe das suas famílias, para que outros, como grávidas e crianças, estejam a salvo da covid-19″.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 109 mil mortos e infetou quase 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Dos casos de infeção, quase 360 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia, e o continente europeu é neste momento o mais atingido, com cerca de 910 mil infetados e de 75 mil mortos.

Em Portugal, que está em estado de emergência desde 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, registaram-se 504 mortes e 16.585 casos de infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.