"Está claro que ocorreu um erro humano dentro do processo da ABF (Força Australiana de Fronteiras)", disse, na segunda-feira, o chefe deste organismo, Michael Outram, perante um comité do Senado, em declarações recolhidas pela agência noticiosa Associated Press.

O mesmo responsável explicou que a ABF não informou a Polícia Federal e o Ministério do Interior australianos que Al-Araibi beneficiava do estatuto de refugiado na Austrália.

Hakeem Ali Al-Araibi, de 25 anos, foi detido no dia 27 de Novembro quando se encontrava em lua-de-mel na Tailândia, na sequência de um alerta da Interpol solicitado pelo Bahrein.

A ordem foi cancelada dias depois, já que violava a regra da Interpol que dita que o país de origem de um refugiado não pode emitir tais alertas. A Tailândia, contudo, manteve o jogador sob detenção com o argumento de que o Bahrein já tinha pedido a extradição.

O futebolista foi condenado à revelia a dez anos de prisão pelo tribunal do Bahrein, acusado de danificar uma esquadra da polícia em 2012, durante protestos à margem da "Primavera Árabe", acusação que negou sempre.

Al-Araibi regressou a Melbourne na semana passada.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.