A dívida não é nova, mas a polémica é. O caso remonta há mais de 10 anos, quando a FIFA aplicou uma multa a Akwá, no valor de 260 mil dólares, que deveriam ser pagos ao Qatar SC – o seu antigo clube - na sequência da ausência do jogador, fora do prazo estipulado por lei, para representar a selecção angolana de futebol.

Mais de uma década depois, quando se pensava que o caso estava resolvido, a história volta a dar que falar em Angola. O antigo craque da seleção - autor do golo que qualificou os "Palancas Negras" para o Mundial da Alemanha de 2006 - não tem dinheiro para pagar e, por isso, está impedido de trabalhar como profissional de futebol.

Tudo começou com uma peça da Rádio Despertar, depois de uma conversa do jornalista Gonçalvez Vieira com Akwá no funeral de João dos Santos de Almeida "Chinho", ex-jogador da selecção nacional de Angola que foi assassinado a 8 de julho, em Luanda, em plena luz do dia, a bordo da sua viatura.

"O meu propósito não era apenas ouvir a reação de Akwá à morte do Chinho, mas também olhar para estes contornos sobre o seu processo", diz o jornalista. "A primeira pergunta que coloquei foi ‘há informações que dão conta de que o seu caso com FIFA ficou resolvido. Confirma, está preparado para voltar à actividade desportiva, particularmente ao futebol?' e ele respondeu categoricamente que não".

Nos últimos meses, várias notícias vieram a público sobre alegadas negociações com o Qatar em relação à dívida e até de uma suposta autorização do Presidente da República João Lourenço, para que a Federação Angolana de Futebol pagasse a quantia devida à FIFA.

O "não" pagamento da dívida confirmado por Akwá a Gonçalvez Vieira foi retomado por vários órgãos de informação locais. Foi no espaço desportivo "Prolongamento" da TV Zimbo que o tema ganhou maior dimensão, com o goleador dos "Palancas Negras" a chorar ao abordar a questão.

Período em que foi deputado levanta questões

Rapidamente, a polémica tomou conta de bares, táxis e redes sociais, com mensagens de apoio a Akwá. Mas também se ouvem críticas. Há quem pergunte onde está o dinheiro que o antigo craque angolano ganhou na Assembleia Nacional, referindo-se aos cinco anos em que Akwá esteve no Parlamento, como deputado do MPLA.

Quem deve pagar a dívida do ex-camisola 10 da selecção de Angola? Ilídio Manuel, jornalista e analista angolano, aponta responsabilidades ao jogador: "Eu julgo que o Estado não tem que assumir nenhuma responsabilidade. Tudo aponta para que tenha havido culpa por parte do próprio atleta. Ele não terá cumprido com aquilo que havia sido estipulado e nesses casos não é o Estado que tem que assumir essas responsabilidades. Ele próprio tem que assumir porque sabia que houve regulamento da equipa que não cumpriu", afirma.

"Eu também acho estranho que só depois de vários anos é que vem as rádios e as televisões trazer essa questão”, questiona ainda Ilídio Manuel. "Enquanto ele esteve no centro do poder, foi um deputado, ele deveria ter levantado esses questões em foro próprio. Mas ele evitou. Evitou porquê? Porque, certamente, ele não quis colidir com o sistema, já que ele foi um dos elementos que, na qualidade de deputado, serviu o próprio sistema".

por:content_author: Manuel Luamba (Luanda)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.