"Vontade Popular, Primeiro Justiça (dois dos principais partidos opositores), desaparecem do mapa político venezuelano, porque não participaram hoje (domingo) e apelaram a boicotar as eleições. Não podem participar mais. Esse é o critério que esgrimiu a Assembleia Constituinte e eu, como chefe de Estado de um poder constituído, apoio", disse.

Nicolás Maduro falava aos jornalistas, em Caracas, durante as eleições de domingo, em que 1.568 candidatos, a maioria deles ligados ao regime, se candidataram para presidir a 335 câmaras municipais, durante os próximos quatro anos.

Nicolás Maduro anunciou também que vai convocar os 335 autarcas eleitos para uma reunião a fim de organizar "um só plano de serviços públicos".

Já Delcy Rodríguez, a presidente da Assembleia Constituinte, disse que aquele organismo "está a avaliar os mecanismos para preservar o sistema partidista da participação política na Venezuela" e que "muito em breve dará a conhecer a vontade da plenária" daquela assembleia.

Os três principais partidos da oposição, que fazem parte da Mesa de Unidade Democrática (aliança opositora), Ação Democrática, Vontade Popular e Primeiro Justiça, não participaram nas eleições de domingo, justificando a decisão numa alegada falta de confiança no Conselho Nacional Eleitoral.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.