“Um outro ativista, o juiz nomeado por [Barack] Obama, acaba de decidir contra nós sobre uma secção do muro do sul que já está em construção. Esta é uma decisão contra a segurança da fronteira e em favor do crime, drogas e tráfico de seres humanos. Estamos a pedir um recurso rápido”, escreveu Trump na sua conta no Twitter.

O presidente dos Estados Unidos está no Japão, onde chegou hoje para uma visita de Estado para conhecer o novo imperador, Naruhito, e com uma agenda focada no reforço das relações bilaterais e no impasse das negociações com a Coreia do Norte.

Um juiz federal norte-americano bloqueou a decisão do Governo de Donald Trump de desviar 6.600 milhões de dólares (cerca de 5,9 mil milhões de euros) do orçamento do Departamento de Defesa para a construção de um muro na fronteira com o México.

A decisão do juiz Haywood Gilliam, do tribunal de Oakland, na Califórnia, conhecida na sexta-feira, interrompe os esforços da administração Trump em utilizar para aquele projeto fundos destinados aos militares.

O magistrado deu assim razão a uma coligação formada por 20 estados, a maioria governada por democratas, uma organização ambientalista e outra de direitos civis, que haviam processado o Governo federal contra a declaração do estado de emergência.

Donald Trump tem pedido ao Congresso autorização para o financiamento da construção de um muro ao longo da fronteira com o México, mas a maioria Democrata na Câmara dos Representantes negou-lhe essa possibilidade, o que levou o Presidente a declarar, em fevereiro, o estado de emergência para alocar dinheiro do Departamento de Defesa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.