O Governo britânico anunciou hoje que os bancos vão ser obrigados a encerrar as contas de imigrantes ilegais para os obrigar a sair do país e já começaram a verificar o estatuto migratório de milhões de clientes.

A secretária de Estado da Imigração, Caroline Nokes, nomeada esta semana pela primeira-ministra Theresa May, anunciou a medida e explicou que se insere no objectivo de “dificultar a permanência das pessoas que não têm direito a viver ou a trabalhar no Reino Unido”.

Nokes afirmou que os imigrantes ilegais fazem baixar os salários dos trabalhadores legais e aumentam a pressão sobre os serviços públicos pagos pelo contribuinte.

Segundo a nova medida, os bancos e instituições de crédito devem comprovar o estatuto de todos os seus clientes e notificar o Ministério do Interior dos casos de imigrantes ilegais.

Uma porta-voz do Ministério assegurou que os bancos apenas transmitirão às autoridades os dados das pessoas que podem ser deportadas.

As pessoas que tenham pedidos de residência pendentes ou recursos pendentes, assim como os que tenham pedido asilo, não são afectadas pela medida, segundo a porta-voz.

Para a organização de defesa dos direitos dos imigrantes Joint Council for the Welfare of Immigrants (JCWI), é previsível que sejam cometidos erros na definição do estatuto migratório, o que pode levar a que sejam erradamente encerradas centenas de contas.

“O mais chocante deste sistema é que as contas, que são necessárias para todos os aspectos da vida, podem ser encerradas sem haver processos claros de rectificação da medida ou de compensações”, disse um porta-voz do JCWI.