O antigo presidente malgache, Andry Rajoelina, parece estar em vias de ganhar a segunda volta das eleições presidenciais de 19 de dezembro, contadas que foram 90% das mesas de voto.

Segundo a Comissão eleitoral nacional independente, CENI, após a contagem de mais de 3,5 milhões de boletins de votos, o candidato, Andry Rajoelina, está com 55,7% dos votos e o seu adversário, Ravalomanana tem 44,2% dos votos.

Mas o candidato Ravalomanana, ele também ex-presidente, rejeita os números avançados pela Comissão eleitoral e denuncia “fraudes eleitorais, manipulações e actos de violência” que prejudicaram a sua campanha.

Curiosamente, logo quando começaram a surgir os primeiros resultados, o candidato Rajoelina, tinha igualmente denunciado “fraudes” nesta segunda volta das presidenciais.

De qualquer maneira, os resultados provisórios completos deverão ser tornados públicos hoje ou amanhã pela Comissão eleitoral e só depois as equipas de campanha de Ravalomanana ou de Rajoelina, poderão denunciar fraudes junto do Tribunal constitucional.

Para já, o vice-presidente da Comissão eleitoral, Thierry Rakotonarivo, declarou durante uma conferência de imprensa que todas as actas serão tornadas públicas e a comissão está disponível para ajudar os candidatos a verificar os resultados.

A nível internacional, o chefe da missão de observação da União europeia, Cristian Preda, garantiu não ter verificado irregularidades significativas e que os malgaches votaram numa “atmosfera pacífica num escrutínio transparente”.

Enfim, a União africana, felicitou os dois candidatos, toda a classe política e o povo malgache que, apesar de divergências, souberam ter uma postura elegante.