Falando à imprensa no final da reunião, o chefe de Estado disse que a reunião com o presidente da terceira força política do país serviu para apresentar o estado atual do processo negocial com a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), após encontro de domingo entre Filipe Nyusi e o líder da Renamo, Ossufo Momade.

"Estivemos a partilhar os momentos que tive com o líder da Renamo e tive encorajamento para continuar nesta senda do diálogo", disse o chefe de Estado.

No encontro de domingo, Filipe Nyusi e Ossufo Momade anunciaram que pretendem assinar um acordo definitivo de paz até à primeira semana de agosto.

Na reunião de ontem com Daviz Simango, que também é presidente do Conselho Autárquico da Beira, centro de Moçambique, o chefe de Estado moçambicano debateu também a reconstrução dos pontos afetados pelo ciclone Idai, após a conferência de Doadores Internacionais realizada na Beira recentemente.

"Era importante também partilhar sobre os apoios que estamos a conseguir para reconstrução, porque o Daviz também conseguiu apoios junto dos seus parceiros. Temos conciliar", disse Filipe Nyusi.

A cidade da Beira foi um dos pontos afetados pelo ciclone Idai, que atingiu o centro do país em março, causando perto de 604 vítimas mortais e afetando cerca de 1,5 milhões de pessoas.

Pouco tempo depois, Moçambique voltou a ser atingido por um ciclone, o Kenneth, que se abateu sobre o norte do país em abril, que matou 45 pessoas e afetou outras 250.000.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.