"Notámos que há absolvidos a regressar às fileiras [dos grupos armados], porque se diz que não há matéria, isso é mau, desmotiva o trabalho daqueles que, debaixo de todos os riscos, lutam para proteger a população e seus bens", afirmou Filipe Nyusi, falando na qualidade de presidente da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder.

Nyusi disse que arguidos que são absolvidos nos casos sobre a violência armada na província de Cabo Delgado são depois abatidos em combate.

A justiça, prosseguiu, deve responsabilizar, de forma exemplar, as pessoas envolvidas nos ataques armados a alvos civis e militares no norte do país.

"Apelamos às instituições de justiça para que continuem a trabalhar com celeridade necessária para a responsabilização exemplar dos indiciados, de modo a esclarecer a verdadeira identidade e objetivos desses malfeitores", declarou Filipe Nyusi.

Os distritos do norte da província setentrional de Cabo Delgado têm sido palco de ataques armados perpetrados por grupos desconhecidos contra alvos das populações e das Forças de Defesa e Segurança, desde outubro de 2017.

O Presidente da República falou da violência armada em Cabo Delgado durante o discurso de abertura da III Sessão Ordinária do Comité Central da Frelimo, que decorre até domingo.

O CC vai debater, até domingo, os relatórios dos órgãos diretivos do partido, a situação política e económica do país, bem como o grau de preparação das eleições gerais de 15 de outubro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.