A organização da Feira Internacional de Maputo (FACIM) assegurou que o processo de preparação da 48ª edição, com início na segunda-feira, está a decorrer em conformidade com o preconizado, estando assim criadas as condições para o seu sucesso.

A garantia foi dada hoje em Marracuene, província de Maputo, por João Macarringue, presidente do Conselho de Administração (PCA) do Instituto para a Promoção de Exportações (IPEX), na conferência de imprensa destinada a apresentar o nível de preparação.

A 48ª edição da FACIM vai decorrer de 27 do corrente a 02 de Setembro, sob o lema “Expandindo o Horizonte dos seus Negócios, Optimizando as Sinergias”.

Macarringue, acompanhado por Luís Munguambe, vice-presidente da Federação Moçambicana dos Transportadores Rodoviários (FEMATRO), e pelo conceituado músico Moreira Chonguissa, disse que a feira está a crescer, fruto da aposta nesse sentido e a vontade de gerar muito mais oportunidades para o empresariado nacional.

A fonte apontou, a título de exemplo, que1800 expositores estão já inscritos contra 1678 no ano transacto, o número de empresas nacionais subiu de 1078 no ano passado para 1100, e a participação estrangeira é calculada em 700 empresas contra 600 no último ano, podendo este universo subir dado que se espera ainda a confirmação de outros países.

Na lista dos que já confirmaram destaca-se a presença da África do Sul, Alemanha, Brasil, China, Egipto, Emiratos Árabes Unidos, Espanha, Indonésia, Itália, Macau, Malawi, Namíbia, Polónia, Portugal, Qatar, Quénia, Swazilândia, Turquia e Zâmbia.

O número de missões empresariais também teve um incremento estando previstas, para este ano, cinco missões, contra apenas três havidas na última edição.

A presente edição da FACIM terá, segundo Macarringue, o condão de se revestir igualmente da diversidade de ofertas da indústria cultural moçambicana, com o ponto mais alto no dia de encerramento, onde irá actuar o astro camaronês, Mano de Bango, “cabeça de cartaz” da festa.

Moreira Chonguissa, ligado ao processo de preparação da parte cultural, disse que o concerto tem em vista o resgate da histórica imagem que a FACIM já teve e os nobres valores que a arte musical transmite aos seus fãs.

“O espectáculo vai começar as 16 horas devendo terminar as 20 horas”, disse Chonguissa, apontando que o mesmo servirá para uma exaltação do orgulho africano.

Por seu turno, Luís Munguambe disse que a FEMATRO vai alocar autocarros que vão partir de vários pontos da província e cidade de Maputo, entre eles Manhiça, Boane, Namaacha, Baixa da cidade, Benfica, Praça dos Combatentes (Xikhelene),  Xipamanine entre outros para permitir que os interessados possam ter transporte.

Os autocarros alocados para o efeito, cuja capacidade irá variar de 16 até 66 lugares, vão todos ostentar o logotipo da FACIM e a quantidade necessária para o escoamento de passageiros vai, segundo a fonte, depender do crescimento da demanda.

Segundo a tradição, esta feira irá contar com a realização de vários seminários, bolsas de contacto, dia dos países, celebração do Dia de Moçambique, entre outras actividades.

Esta será a segunda vez que Marracuene acolhe a FACIM, desde a transferência das suas instalaco9es da cidade de Maputo para aquele região em 2011.

@AIM

LE/DT

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.