O chefe de Estado guineense termina o seu mandato a 23 de junho.

Num encontro com jornalistas para abordar vários assuntos que têm dominado a atualidade política do país, José Mário Vaz explicou que aguarda a constituição da mesa da Assembleia Nacional Popular, porque depois são necessárias várias tramitações até à marcação da data das eleições presidenciais.

"Eu vou marcar, mas não depende exclusivamente de mim. Há o GTAPE (Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral) e a CNE (Comissão Nacional de Eleições). Eles é que estão a preparar a agenda para propor datas possíveis para haver eleições, é preciso ouvir o Governo e partidos políticos com assento parlamentar. Perante este ambiente eu não posso marcar a data enquanto aqueles órgãos não se pronunciarem sobre o assunto", afirmou o Presidente guineense.

A Guiné-Bissau realizou eleições legislativas a 10 de março, mas o novo primeiro-ministro ainda não foi indigitado devido a um impasse na constituição da mesa da Assembleia Nacional Popular.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.