"Os cenários de perturbação de ordem e segurança pública que ocorrem em alguns distritos de Cabo Delgado chamam atenção para o vosso empenho, o redobrar de esforços em conjugação com outras forças", disse Filipe Nyusi.

O Presidente falava hoje na primeira parada das forças especiais da Polícia da República de Moçambique.

O combate aos grupos armados que protagonizam ataques em Cabo Delgado deve levar à mobilização vigorosa de toda a sociedade, acrescentou.

No sábado, seis pessoas morreram e várias ficaram feridas durante um ataque a uma viatura no distrito de Macomia, em Cabo Delgado.

Na quinta-feira da semana passada, quatro pessoas foram feridas e uma morreu quando uma caravana de carros da petrolífera norte-americana foi atacada por homens armados no distrito de Palma, em Cabo Delgado.

O ataque foi o primeiro a alvos de uma empresa envolvida em projectos de exploração de gás natural.

Desde Outubro de 2017, já terão morrido entre 100 a 150 pessoas, entre residentes, supostos agressores e elementos das forças de segurança e, pela primeira vez, um trabalhador na construção do empreendimento.

A onda de violência eclodiu após um ataque armado a postos de polícia da vila de Mocímboa da Praia por um grupo com origem numa mesquita local que pregava a insurgência contra o Estado e cujos hábitos motivavam atritos com os residentes desde há dois anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.