Armando Guebuza defendeu hoje a desmilitarização urgente da RENAMO e pediu às confissões religiosas para ajudarem na "implementação efetiva" do acordo de paz recentemente assinado, que pôs termo a instabilidade no país.

O apelo de Armando Guebuza foi feito num comício realizado na Praça da Paz, em Maputo, por ocasião do 22.º Aniversário do Acordo de Roma, que pôs fim à guerra civil de 16 anos entre o Governo e a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, que a partir de hoje voltou a participar nas cerimónias de Estado, após quase 20 anos de boicote.

Num discurso centrado nos desafios que o recente acordo de cessação de hostilidades impõe ao país, o chefe de Estado moçambicano pediu às igrejas existentes em Moçambique para auxiliarem às autoridades a garantir a implementação do pacto "no seu espírito e letra, sem subterfúgios nem delongas".

Lusa