"Apelamos, por conseguinte, que continuemos a manter o espírito solidário que sempre nos caracterizou como moçambicanos, apoiando, sempre que possível, os nossos irmãos vítimas destas contingências", lê-se numa mensagem do chefe de Estado alusiva ao novo ano.

Em causa está a violência armada em alguns pontos do norte e centro de Moçambique, especificamente em Cabo Delgado (norte), Sofala e Manica (centro), onde grupos armados têm protagonizado ataques contra viaturas civis, autoridades e aldeias.

No norte, na província de Cabo Delgado, os ataques de grupos armados desconhecidos eclodiram há dois anos e já provocaram pelo menos 300 mortos, além de deixar cerca de 60.000 pessoas afectadas ou obrigadas a abandonar as suas terras e locais de residência, de acordo com a mais recente revisão do plano global de ajuda humanitária das Nações Unidas.

Por outro lado, no centro do país, especificamente nas províncias de Sofala e Manica, grupos armados têm protagonizado ataques contra viaturas em dois dos principais corredores rodoviários moçambicanos, a Estrada Nacional 1 (EN1) e a Estrada Nacional 6 (EN6), em incursões que já provocaram 21 mortos desde agosto e que são atribuídas pelas autoridades a guerrilheiros do principal partido de oposição (Renamo) que permanecem na região.

Na sua mensagem, Filipe Nyusi considera ainda que a violência armada no país é injustificada e atenta contra os esforços que têm sido empreendidos para o desenvolvimento do país.

"Infelizmente, como nação, fazemos esta transição num contexto de muita dor decorrente da violência injustificada, perpetrada por indivíduos contrários ao nosso progresso", lê-se no documento.

Filipe Nyusi pede também especial atenção e espírito de solidariedade às vítimas do mau tempo que afeta o norte do país, com destaque para a província de Cabo Delgado, onde morreram cinco pessoas e outras 8.600 foram afetadas pelas intempéries.

"Ainda assim, alegra-nos dedicar a todo o povo moçambicano e aos estrangeiros em Moçambique, do Rovuma ao Maputo e do Zumbo ao Índico, um feliz ano novo. Que 2020 seja um ano de muita paz, tranquilidade, realizações concorrentes à melhoria nas nossas condições e qualidade de vida", lê-se ainda na mensagem.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.