Numa mensagem dirigida ao seu homólogo moçambicano, Filipe Nyusi, o chefe de Estado cabo-verdiano começou por enviar um “abraço fraterno ao povo irmão de Moçambique e expressar as profundas felicitações” pela “importante efeméride”.

“Nestes tempos de dificuldades e incertezas devido à pandemia da covid-19 que vem afetando os nossos países, não gostaria de deixar de aproveitar esta oportunidade para manifestar a minha firme vontade e disponibilidade total, na continuação do trabalho que vimos desenvolvendo em prol dos laços de cooperação e amizade que sempre existiram entre os nossos dois países e povos, seja no quadro bilateral, seja no contexto da família que nos é comum, a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), e no plano  multilateral mais amplo”, escreveu Jorge Carlos Fonseca.

Com cerimónias em pelo menos todas as capitais provinciais do país, Moçambique celebra hoje 45 anos da proclamação da independência em 1975 pelo então Presidente Samora Machel, após uma luta de libertação contra o regime colonial português, que começou em 1964.

As comemorações de 45.º aniversário da independência estão subordinadas ao lema: “Unidos, Construímos Moçambique de Paz e Desenvolvimento” e caberá ao chefe de Estado moçambicano dirigir as cerimónias centrais na quinta-feira na Praça dos Heróis Moçambicanos, em Maputo.

Cabo Verde comemora o 45.º aniversário da sua independência dentro de 10 dias, em 05 de julho.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.