Os migrantes estavam num bote de borracha, que navegava condicionado pela falta de visibilidade, de acordo com a Marinha

“O bote, no qual seguiam 12 crianças, das quais um bebé, oito mulheres e 13 homens, foi detectado pela Viatura de Vigilância Costeira (VVC) da Polícia Marítima, que passou de imediato as coordenadas para a equipa em patrulha no mar”, adiantou a Marinha.

A Polícia Marítima “resgatou todos os migrantes, transferindo-os em segurança para bordo da sua embarcação, onde forma transportados para o porto de Skala Skamineas”.

Integrada na operação POSEIDON 2017/2018, a Polícia Marítima “já detectou e retirou a salvo das águas do Mar Egeu 1.042 migrantes de diferentes nacionalidades que, neste fluxo migratório irregular e arriscado por via marítima, tentam entrar na Europa numa travessia entre a Costa da Turquia e da Grécia”.

A Polícia Marítima encontra-se integrada na operação POSEIDON, sob égide da agência europeia FRONTEX e em apoio à guarda-costeira grega, com o objectivo de controlar e vigiar as fronteiras marítimas gregas e externas da União Europeia, no combate ao crime transfronteiriço, no âmbito das funções de guarda-costeira europeia.