A decisão foi tomada hoje em conjunto por uma comitiva governamental, familiares de Dhlakama e dirigentes da Renamo, em detrimento do estádio do Ferroviário da Beira, local que tinha sido anunciado por família e partido no sábado.

O público poderá aceder livremente ao largo da estação "a partir das primeiras horas da manhã", para uma cerimónia que deverá começar pelas 08:00 e prolongar-se até às 12:00, referiu José Manteigas, porta-voz da Renamo.

Logo de seguida, o corpo do líder da oposição moçambicana será transportado para a sua terra natal, Mangunde, distrito de Chibabava, cerca de 300 quilómetros a sudoeste da cidade da Beira, acrescentou.

Afonso Dhlakama será sepultado na quinta-feira, pelas 14:00, anunciaram a família e a Renamo no sábado.

O líder do partido morreu na quinta-feira pelas 08:00, aos 65 anos, na Serra da Gorongosa, devido a complicações de saúde.