“Mesmo conscientes de que esta acção não representa a maneira de ser do povo e do governo sul-africanos, queremos de forma veemente condenar estes actos xenófobos,” disse Nyusi.

Estima-se que mais de um milhão de moçambicanos ou descendentes residam na África do Sul.

Nesta sua primeira reacção à situação de xenofobia, que já levou a que mais de 500 moçambicanos ficassem desalojados e despojados dos seus bens, Nyusi disse que o seu governo já encetou contactos com a Organização Internacional das Migrações, que assegura o repatriamento de moçambicanos.

Internamente, os retornados serão apoiados pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades.

Nyusi disse também que o governo está a acompanhar a situação, de modo a proteger os bens dos moçambicanos residentes na África do Sul.

Por outro lado, o estadista exortou os moçambicanos a absterem-se da retaliação.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.