Um espectáculo denominado “Noite de Bailado” marcou as celebrações do Dia Mundial da Dança assinalado em todo o planeta. A catedral das artes moçambicanas, ou seja o Cine Teatro África foi o palco que acolheu este evento que contou com a presença do Ministro da Cultura, Armando Artur, que enalteceu a diversidade cultural que marcou estas celebrações, tendo em conta que neste espectáculo foram exibidas peças de três continentes, nomeadamente Europeu, Americano e Africano.

Para assinalar o Dia Mundial da Dança foram escolhidos três bailados, nomeadamente “Subtile Changes/The Tallented”, dos EUA, “Migração”, da Noruega, e “Outro Dia, Outro Grito”, do Zimbabwe, sendo que todos contaram com a actuação de dançarinos da Companhia Nacional de Dança (CNCD) a organizadora do evento.

O primeiro trabalho presentado na noite foi “Subtile Changes/The Tallented”, da coreógrafa e bailarina norte-americana Makeda Thomas, que se inspirou num texto bíblico. “Subtile Change” refere-se a três homens a quem foram dados sementes para devolverem numa próxima colheita. Dois deles devolveram e ainda ficaram com alguma para sementeira seguinte, mas o terceiro usou a semente para comer e ainda foi reclamar dizendo que era pouca e que por isso não teria nada para devolver.

A segunda obra exibida nesta noite foi “Migração”, da autoria da norueguesa Zezé Kolstad. A peça foi apresentada em estreia em Moçambique e retrata um grupo de pessoas que deixa a sua terra natal na crença de uma vida melhor por outras andanças.

A noite fechou com a exibição de um trabalho do continente africano, representado pelo zimbabweano Ricarudo Manwere, coreógrafo e bailarino, que exibiu a obra “Outro Dia, Outro Grito”. Este bailado é dedicado aos adolescentes e jovens em África para despertarem para o a prevenção e combate ao HIV/SIDA.

Referir que a abrir a noite foi dado espaço ao grupo cultural “Xingomane do Ferroviário” que exibiu um número da dança tradicional moçambicana.

Alfredo Lituri

SAPO MZ