O vice-presidente executivo da TAP, Luiz Mór, afirmou ontem no Rio de Janeiro, que uma possível fusão com as companhias aéreas angolana TAAG e brasileira TAM ainda é uma especulação pois "não há nada de concreto".

Segundo Luiz Mór, que falou em conferência durante o maior evento de turismo da América Latina realizado pela Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), o que existe são acordos de parcerias.

 
"Com a TAM é uma parceria nova, a TAAG já é uma parceira mais antiga, temos um envolvimento com eles em colaboração para que voltem à Europa", declarou.

O vice-presidente da companhia portuguesa comentou ainda a redução de voos semanais do Brasil de 67 para 57 este ano como uma forma de se adaptar à diminuição da procura.

SAPO MZ com Oje

 

 
"A redução de voos que fizemos foi no calor da crise económica que foi violenta devido a uma situação conjuntural e o Real valorizado torna o destino Brasil mais caro", disse, referindo que houve uma queda de oito por cento no número de passageiros transportados no Brasil, de Janeiro a Setembro deste ano.

Contudo, Luiz Mór garantiu que no período de época alta, a partir de Dezembro, a situação será revertida.

"A ideia é que serão retomados os 10 voos", indicou.

"O período da crise foi extremamente difícil, o número de passageiros caiu em praticamente todos os destinos. Mas este ano foi de abertura de novas rotas", explicou.

Mór citou Moscovo, um destino para o qual a empresa começou a voar desde Junho, além de Helsínquia, Varsóvia e e Casablanca.

A partir de 25 de Outubro, a companhia aérea começará a operar para Valência, na Espanha.

Em África, Argel, será o próximo destino a partir de 26 de Novembro.

"Argel é mais uma aposta em África. Em Luanda, aumentámos de 7 para 10 frequências", comentou.

No Brasil, a TAP transportou nos primeiros nove meses do ano quase 900 mil passageiros e a expectativa é que, até final de 2009, 1,1 milhão de passageiros sejam transportados nas linhas do Brasil.

De acordo com Luiz Mór, as linhas do Brasil representam 13% do total de passageiros transportados pela TAP, responsáveis por 28% das receitas geradas.

Entre os passageiros desembarcados no Brasil, Portugal continua a ser o maior responsável no exterior pelo volume de passageiros, 19%.

No nordeste, Salvador é o maior destino dos portugueses, que são responsáveis por 23% da utilização, enquanto em Recife, Natal e Fortaleza, a média de portugueses é 19% para cada cidade.

No sudeste, 26% dos passageiros que vão para Belo Horizonte são portugueses.

Em São Paulo, apesar de ter havido uma queda de 15% da procura dos voos, a percentagem de portugueses é de 22%, enquanto o Rio de Janeiro e Brasília respondem por 19% cada.

No que se referem aos futuros eventos desportivos como o Mundial de 2014 e as Olimpíadas de 2016, Luiz Mór afirma que ainda é cedo para estimar o aumento de novos voos.

"Já nos estamos a preparar para as Olimpíadas promovendo o Brasil desde já como destino e vamos continuar. Somos a empresa número um da Europa para o Brasil", disse.

Quanto ao Mundial, das 10 cidades sede para o campeonato, a TAP voa para oito.

A empresa ainda não divulga a estratégia, mas admite que poderá redireccionar parte dos voos para responder à procura na altura do mundial.

Segundo Mór, com estes eventos globais, haverá um "rejuvenescimento da marca Rio de Janeiro" na Europa.

"Existe uma simpatia natural pelo Brasil que é uma marca conhecida, o estrangeiro tem uma visão boa do brasileiro", concluiu o responsável da TAP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.