O relatório da Comissão para a Igualdade de Género, feito pelo governo, diz que investigou queixas de pelo menos 48 mulheres por “tratamento cruel, torturante ou desumano e degradante” nos hospitais.

A comissão disse que a sua investigação levou tempo devido a desafios, incluindo alguns funcionários do hospital que tentaram ocultar documentos ou se recusaram a cooperar.

O relatório será enviado ao Conselho de Profissões da Saúde da África do Sul, que tem um mandato para agir contra os profissionais de saúde.

A Organização Mundial de Saúde diz que a África do Sul tem a maior epidemia de VIH no mundo, com mais de sete milhões de pessoas a viver com a doença.

A comissão recomendou que mais pesquisas sejam feitas sobre a extensão da prática de esterilização forçada de mulheres vivendo com VIH na África do Sul.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.