Alvo de um inquérito policial há mais de um ano, Sara Netanyahu é acusada de ter gasto dezenas de milhares de dólares de dinheiro dos contribuintes em refeições de restaurantes ‘gourmet’.

De acordo com o ministério, as despesas da residência oficial entre 2010 e 2013 incluem cerca de 83.000 euros para aqueles gastos.

Em finais de maio, a Procuradoria de Israel fez um ultimato a Sara Netanyahu para que aceitasse um acordo e devolvesse ao Estado parte dos gastos pessoais com comida de luxo que alegadamente pagou com fundos públicos, para evitar o processo.

A acusada terá encomendado centenas de refeições para a residência oficial do primeiro-ministro, tendo declarado falsamente que o pessoal não incluía um cozinheiro.

Um antigo vice-diretor da residência oficial também é acusado no caso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.