Moçambique não tem registo oficial de qualquer morte devido à pandemia. A vítima, com idade entre 40 e 50 anos, teve um diagnóstico positivo para a Covid-19 no dia 15 de maio e deu esta terça-feira (19.05) entrada, inconsciente, numa unidade saúde de Palma, em Cabo Delgado, norte do país.

Poucos minutos depois foi registado o óbito, acrescentou a diretora nacional de Saúde Pública, Rosa Marlene, falando durante a conferência de imprensa diária de atualização de dados da pandemia.

"Cumpria isolamento domiciliar e esteve sempre assintomático. O quadro clínico apresentado sugere que a causa da morte tenha sido outra patologia e não diretamente relacionada com a Covid-19", afirmou.

Primeiro internamento de doente

Segundo Rosa Marlene, ainda nas últimas 24 horas, Moçambique registou o primeiro internamento de um doente com Covid-19, num caso que diz respeito a um moçambicano com idade entre 60 e 70 anos, diagnosticado com o novo coronavírus na segunda-feira na cidade de Maputo.

"O mesmo encontra-se em observação para o diagnóstico final", frisou a diretora nacional de saúde Pública.

Nas últimas 24 horas, Moçambique registou mais um caso de covid-19, elevando o total de 145 para 146.

O novo caso diz respeito a um cidadão estrangeiro, entre 25 e 39 anos, e resulta dos segundos testes efetuados aos trabalhadores que estavam em quarentena no recinto de construção do complexo industrial de processamento de gás natural de Afungi, Cabo Delgado, um dos locais de maior concentração de casos em Moçambique.

"Não apresenta sintomatologia e encontra-se em isolamento domiciliar na cidade de Maputo", acrescentou Rosa Marlene.

No total, desde o anúncio do primeiro caso de Covid-19 no país, a 22 de março, Moçambique testou 6.537 amostras suspeitas, fez o rastreio de 718.729 pessoas, das quais 14.760 estiveram em quarentena, estando 1.890 a ser acompanhadas pelas autoridades.

Das 146 pessoas com a infeção, 48 pessoas são dadas como recuperadas.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 318 mil mortos e infetou mais de 4,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,7 milhões de doentes foram considerados curados.

por: Agência Lusa

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.