"Compreendemos perfeitamente as dificuldades que Moçambique enfrenta neste momento, o Japão sofre do mesmo tipo de fenómenos", disse o embaixador nipónico em Moçambique, Akira Mizutani.

O diplomata nipónico falava durante a entrega dos donativos na cidade da Beira, na província de Sofala, uma das mais afetadas pelo ciclone Idai.

Através de programas de apoio as vítimas do Idai, organizados por agências internacionais e pelo Governo, o Japão tinha em março disponibilizado um total de 9,8 mil dólares na aquisição de donativos de emergência, reservatórios e purificadores de água, além de ter colocado à disposição das comunidades equipas médicas no distrito de Búzi, em Sofala.

"O povo moçambicano é resiliente, temos a certeza que poderá superar as dificuldades hoje encaradas", afirmou Akira Mizutani.

O ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique em março, causando 604 vítimas mortais e afetando cerca de 1,8 milhões de pessoas.

Pouco tempo depois, Moçambique voltou a ser atingido por um ciclone, o Kenneth, que se abateu sobre o norte do país em abril, matando 45 pessoas e afetando outras 250.000.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.