"A assistência surgiu em resposta a um pedido do Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar do país", lê-se num comunicado da Agência Internacional de Energia Atómica divulgado hoje.

Os suprimentos de emergência incluem equipamentos de laboratório, perícia técnica e centenas de reagentes químicos para realizar testes rápidos em animais.

O pacote de emergência vai reforçar o Laboratório Central de Veterinária na capital moçambicana, bem como restaurar serviços em laboratórios estratégicos nas cidades de Chimoio e Pemba, no centro e norte do país, pontos afetados pelos ciclones Idai e Kanneth.

"Além do trágico número de mortes humanas, mais de 300 mil animais foram mortos e outros seis milhões foram postos em risco com estes ciclones", afirmou o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica, Yukiya Amano, citado no comunicado.

Além da febre do "vale do rift", que pode infetar humanos também, os suprimentos vão combater também a febre aftosa, a doença de "newcastle", a gripe aviária e outras pragas.

O ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique em março, provocando 604 vítimas mortais e afetando cerca de 1,8 milhões de pessoas.

Pouco tempo depois, Moçambique voltou a ser atingido por um ciclone, o Kenneth, que se abateu sobre o norte do país em abril, matando 45 pessoas e afetando outras 250.000.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.