A vila fica a 90 quilómetros dos megaprojetos de gás natural em construção no país e que representam alguns dos mais importantes investimentos privados em curso em África.

Um residente ouvido hoje pela Lusa descreve que as pessoas voltaram a circular nalgumas zonas, mas há corpos nas ruas e marcas das confrontações entre as forças de defesa e segurança e o grupo que atacou a vila, ao cabo de dois anos de violência armada na província de Cabo Delgado.

"Estamos a encontrar pessoas mortas, entre militares e civis. Alguns perderam a vida algemados", afirmou, por telefone, um residente.

Ainda não é claro quem controla a vila, descrevem, sendo que uma das pessoas refere que o grupo armado controla o porto de Mocímboa.

Uma fonte disse que o ataque ocorreu duas semanas após o desaparecimento de um grupo de 43 habitantes que supostamente integram o movimento autor do ataque.

Um grupo armado invadiu a vila na madrugada de segunda-feira e esteve em confronto, com disparos de várias armas, durante o resto do dia, com as forças de defesa e segurança moçambicanas.

A polícia referiu que o grupo ocupou o quartel da vila, onde içou a sua bandeira, destruiu casas, vandalizou espaço públicos e criou barricadas nas principais entradas de Mocímboa da Praia.

A população esteve fechada dentro de casa, sem circular, disseram residentes à Lusa.

O comando-geral da polícia moçambicana fez na segunda-feira um apelo à calma e disse estar a combater os agressores.

Imagens captadas pela população e que a Lusa teve acesso mostram bancos, carros e residências vandalizadas.

A província de Cabo Delgado tem sido alvo de ataques de grupos armados, que organizações internacionais classificaram como uma ameaça terrorista e que em dois anos e meio já fez, pelo menos, 350 mortos, além de 156.400 afetados, devido à perda de bens ou obrigados a abandonar casa e terras em busca de locais seguros.

Estes ataques têm acontecido sobretudo no meio rural, mas Mocímboa da Praia é um dos principais centros urbanos da região, sede de distrito, servido pela única estrada asfaltada que cruza a província e com um aeródromo apto a receber voos internacionais.

Trata-se da vila onde em outubro de 2017 começou a ameaça armada numa mesquita que, como outras de Cabo Delgado, era apontada na época como tendo sido alvo de radicalização, atormentando Cabo Delgado.

Mocímboa da Praia fica a 90 quilómetros a sul de Palma, distrito onde estão a ser construídos megaprojetos internacionais de exploração de gás natural.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.