O empresariado de Cabo Delgado diz que oferece serviços de qualidade em diversos ramos, mas os megaprojetos não têm optado pela contratação de firmas locais, priorizando as estrangeiras. Nesta nova fase de implantação de grandes investimentos do setor petrolífero na região, empresários locais, como Francisco Tete, querem que seja dada prioridade à contratação de firmas locais.

"Nós, cá, fabricamos mobílias com qualidade e a província sabe muito bem porque já trabalhamos com o governo. Mesmo no caso de emergência, conseguimos cumprir com os prazos. E existem outros que podem fazer trabalhos de qualidade e estão licenciados, mas não reúnem os outros requisitos, segundo as exigências de trabalhos externos requerem", explica.

Saidó Dadier, outro empresário de Cabo Delgado, reconhece as fragilidades do setor privado local, sobretudo, no capítulo do uso das tecnologias de informação e comunicação.

"Uma das coisas que muitos não usam é a tecnologia porque [as empresas multinacionais] sempre mandam os e-mails para todos os empresários locais que estão inseridos nos seus dados, mas não têm tido resposta. [Isto] significa que não estamos informados" diz.

Parcerias

Consciente das dificuldades que os empresários locais poderão enfrentar num mercado cada vez mais competitivo, como o do petróleo e gás, Saidó Dadier diz que é preciso estabelecer parcerias entre as pequenas e médias empresas. "Será difícil o empresariado local ir atrás das oportunidades. Sempre haverá barreiras porque as empresas multinacionais são sempre exigentes. Para poder alcançar, só devemos fazer parcerias. Aquilo que tu não tens, busque com o outro" afirma.

Essa foi precisamente uma das saídas apontadas num seminário promovido recentemente em Pemba pela Technip FMC, empresa especializada no recrutamento local para os projetos de petróleo e gás. Talumba Catawala, gestora de comunicação da empresa, acredita que o planeamento a longo prazo pode ajudar nesse processo. "Hoje consegues saber que tipo de serviço podes prestar para este projeto em maio de 2020. Então, tens muito tempo para preparar a tua empresa, parcerias, pessoal e uma proposta forte que possa ser competitiva com as empresas internacionais. O foco que temos agora é vermos a mão-de-obra e a matéria-prima, de onde é que vem, porque o critério é mão-de-obra e a matéria-prima locais. Está a haver mais envolvimento de empresas locais", diz.

Novas estratégias

O Executivo de Cabo Delgado diz que já está a aprimorar estratégias para aumentar a participação do setor privado local nas oportunidades de negócios resultantes da implementação de megaprojetos. O diretor provincial da Economia e Finanças, Dário Passo afirma que o Governo continuará a trabalhar na aproximação de empresários locais e as grandes empresas, para encontrar formas de dar à província uma melhor e maior participação.

"Dentro do setor privado, temos trabalhos por realizar sobretudo na busca de sinergias entre diferentes entidades, no sentido de nos podermos munir de capacidades para responder aos desafios".

por:content_author: Delfim Anacleto Uatanle (Pemba)

 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.