A organização não governamental- CIP- revela que, devido ao conflito armado na província de Cabo Delgado, as despesas para as áreas de Defesa e Segurança aumentaram em 451%, passando de 9 milhões de euros em 2018, para pouco mais de 52 milhões de euros em 2019.

Leila Constantino, Investigadora do CIP, admite que estes investimentos desencadeiam cortes nos setores sociais, o que acaba por contribuir para o agravamento do conflito no norte do país e das desigualdades sociais.

O ministro do Interior disse hoje que os grupos que protagonizam ataques armados no norte do país usam uniforme do exército moçambicano e recorrem a “drones” para o reconhecimento dos seus alvos, mas estão a “perder terreno”.

A província de Cabo Delgado, que alberga uma das maiores reservas de gás natural do mundo tem sido, desde Outubro de 2017, palco de ataques armados perpetrados por insurgentes. Os ataques já provocaram a morte a mais de 110pessoas e fizeram pelo menos 200 mil deslocados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.