Os principais acontecimentos até agora:

  • STAE divulga primeiros resultados globais preliminares: FRELIMO e Nyusi na frente;
  • FRELIMO vence em Inhambane;
  • Várias cerimónias de divulgação de resultados, agendadas para esta sexta-feira (18.10), foram adiadas;
  • Encontrada morta presidente da Liga Feminina da RENAMO, no distrito de Zumbo;
  • MDM recusa resultados na Beira;
  • Missões de observação internacional falam em sufrágio "pacífico e ordeiro";
  • Pelo menos dois mortos durante o processo de apuramento de resultados;
  • CIP prevê abstenção a rondar os 45%;

22:00

Fica por aqui o acompanhamento ao minuto de mais um dia de apuramento de resultados das eleições gerais em Moçambique. Fique com a síntese do dia de hoje.

21:41

A RENAMO vai dar uma conferência de imprensa, este sábado (18.10), para falar sobre os resultados das eleições de 15 de outubro. O encontro vai realizar-se na sede do partido e será conduzido pelo secretário-geral desta formação, segundo informações do nosso correspondente Luciano da Conceição.

21:22

Esta sexta-feira (18.10) ficou marcada pelo adiamento do anúncio dos resultados em vários distritos e províncias. Na cidade de Maputo, na província de Nampula e no distrito de Moatize, em Tete, os órgãos eleitorais haviam agendado esta divulgação para o dia de hoje, o que acabou por não acontecer até às 21h.

20:45

Segundo o STAE, estão, neste momento, apurados os resultados de 3.529 de 20.554 mesas, ou seja 17%. Filipe Nyusi (FRELIMO) segue na frente com 70,10% dos votos. Em segundo lugar surge Ossufo Momade (24,50%) e Daviz Simango (4.46%).

Para a Assembleia da República, numa altura em que estão apuradas 11,04% das mesas, a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) conta com 69,86% dos votos. Segue-se a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) com 23,21%, Movimento Democrático de Moçambique (MDM) com 4,61% e a Ação do Movimento Unido para a Salvação Integra (AMUSI) com 0,34%.

Ainda não há dados publicados sobre Niassa, Sofala, Manica, Inhambane, Gaza, nem Maputo Cidade.

19:50

Em entrevista à DW África, Guilherme Mbilana, especialista em direito eleitoral, afirma que as irregularidades que se registam nas eleições em Moçambique poderiam ser resolvidas com a introdução da "votação eletrónica". "Em termos de manuseamento físico dos documentos, como boletins de voto, de urnas, chega-se à conclusão de que isso já não é praticável em Moçambique. Revela-se como algo de risco, também porque o processamento e contagem de votos decorre a altas horas da noite", disse.

Sobre o silêncio da RENAMO neste processo de contagem dos votos, Guilherme Mbilana diz que o “que deve estar a acontecer é uma gestão interna, principalmente do descalabro, porque isso não era esperado”. “A expetativa dos membros e simpatizantes da RENAMO era outra”, constata.

19:10

A Comissão Distrital de Eleições de Moatize ainda não fez a divulgação dos resultados das eleições de dia 15 de outubro, apesar do anúncio estar agendado para esta sexta-feira (18.10). A Comissão Distrital justifica a demora com o facto de ainda não ter recebido os dados do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) do distrito. Nem a Comissão Provincial de Eleições , nem o STAE provincial se pronunciaram ainda.

Até agora, são conhecidos, na província de Tete, os resultados dos distritos de Macanga e Dôa, onde Filipe Nyusi e o partido FRELIMO lideram a contagem dos votos, seguidos de Ossufo Momade e o partido RENAMO.

A DW África sabe que os resultados da cidade de Tete serão divulgados às 20h desta sexta-feira (18.10).

19:04

A Plataforma Monitor considerou hoje que "apesar do decurso aparentemente tranquilo do dia de votação [em Moçambique], os vários ilícitos reportados em todas as sete províncias observadas [pela plataforma] remetem-nos à conclusão preliminar de que os mesmos podem, no seu geral, por todo o país, comprometer significativamente a credibilidade das eleições".

Num relatório preliminar divulgado por esta coligação de organizações da sociedade civil moçambicana, a que a Lusa teve acesso, a coligação nota que as situações ilícitas também foram detetadas por outras organizações que observaram a votação.

18:43

A Comissão Distrital de Eleições em Búzi, província de Sofala, já divulgou os resultados de apuramento distrital das eleições, informa a plataforma "Sala da Paz", que acrescenta que os representantes da RENAMO e MDM não estiveram presentes, nem assinaram os editais.

18:20

Esta sexta-feira (18.10), após afirmar que o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) não vai aceitar os resultados na cidade da Beira, José Domingos, secretário-geral do partido, deixou um recado à FRELIMO.

17:56

Nova denúncia por parte do Centro de Integridade Pública: Em Milange, província da Zambézia, quatro observadores foram expulsos da sala onde decorria o apuramento distrital dos resultados da votação de terça-feira (15.10).

17:47

O Centro de Integridade Pública (CIP) acaba de denunciar, na sua página do Facebook, um caso de intimidação no distrito de Kamavota, na cidade de Maputo. De acordo com esta organização, a "mandatária provincial da Nova Democracia, (ND) Francisca Noronha, foi ameaçada de agressão e confisco do seu telemóvel quando protestou contra anomalias no apuramento intermédio do distrito de Kamavota".

17:45

Ainda sem justificações acerca do atraso na divulgação dos resultados, cidadãos e jornalistas abandonam auditório em Maputo.
Anúncio dos resultados eleitorais da província de Maputo estava agendado para, esta sexta-feira (18.10), às 14h,

17:40

Em Chimoio, o maior círculo eleitoral da província de Manica, o partido FRELIMO já faz a festa. Simpatizantes e membros do partido marcharam hoje do Auditório do Instituto de Ciências de Saúde, local onde a Comissão Distrital de Eleições fez esta tarde a divulgação dos resultados, até à sede do partido.

Os membros marcharam, cantando e gritando pelas ruas de Chimoio. Junto à sede do partido, cantaram: "derrotámo-los e batemo-los muito bem, não há reclamações para tal".
Jorge Fazenda, secretário distrital do partido FRELIMO em Chimoio, disse que este “um resultado retumbante e esmagador” conseguido pelo seu partido e pelo seu candidato.

O diretor do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE), em Manica, Luciano José, asseverou, esta sexta-feira (18.10), em conferência de imprensa, que os resultados inerentes ao apuramento provincial serão divulgados na próxima segunda-feira (21.10).

Para a Presidência da República, Filipe Nyusi, da FRELIMO, obteve 66.629 votos, seguido do candidato da RENAMO, Ossufo Momade, com 28.354 votos. Daviz Simango arrecadou 4.356 votos e, em último surge Mário Albino, do AMUSI, com apenas 319 votos.

Para a Assembleia da República, a FRELIMO conseguiu 61.571 votos, a RENAMO 30.242, o MDM 4.756 e o AMUSI 199. Finalmente, para a Assembleia Provincial, a FRELIMO arrecadou 63.333 votos, a RENAMO 30.902, o MDM 4.901 e o AMUSI não teve nenhum voto.

17:27

Confira aqui as declarações de Evaristo Tatamo, da RENAMO, sobre o assassinato da presidente da Liga Feminina da RENAMO no distrito de Zumbo, Babula Francisco.

17:05

Entretanto, na província de Nampula, a Comissão de Eleições acaba de divulgar uma nova hora para o anúncio dos resultados. De acordo com o nosso correspondente, Sitói Lutxeque, a instituição vai pronunciar-se às 17h15. Um anúncio, acrescenta, que pode ter pouca adesão por parte dos jornalistas por ter chegado tardiamente e com menos de 30 minutos de antecedência.

16:50

Anúncio dos resultados eleitorais da província de Maputo estava agendado para esta sexta-feira (18.10) às 14h, mas até ao momento nada foi dito. Jornalistas permanecem no local à espera de desenvolvimentos.

16:10

A embaixada dos Estados Unidos em Moçambique diz ter "sérias preocupações em relação a problemas e irregularidades" ocorridos durante e após as eleições no país. Numa declaração preliminar, divulgada esta tarde, a embaixada afirma que as 25 equipas destacadas para observar o processo eleitoral em todas as províncias de Moçambique "testemunharam diversas irregularidades e vulnerabilidades durante o processo de votação e as primeiras fases de apuramento".

No comunicado, citado pela Lusa, é apontado, por exemplo, o caso de numerosas mesas de votação em Gaza em que houve uma baixa afluência às urnas até ao meio da tarde, mas cujas folhas de resultados afixadas e visíveis "indicam perto de 100% de afluência às urnas".Os observadores notaram ainda, em todo o país, "falta de rigor" no apuramento distrital.

15:54

Em média, sete em cada oito pessoas que votaram validamente no distriro de Macanga, província de Tete, fizeram-no a favor da FRELIMO e do seu candidato, diz a plataforma "Sala da Paz".

15:38

Em Inhambane, o Partido União Democrática (UD) vai aceitar os resultados eleitorais. Em declarações à DW África, o delegado provincial do partido em Inhambane, Lázaro Guimarães, afirmou que o seu partido ainda aguarda a divulgação dos resultados eleitorais e que os vai aceitar. "Não temos nenhuma queixa sobre os resultados porque somos um partido novo e entrámos na corrida com formações políticas com história neste país", diz.

Nas eleições desta terça-feira, o UD conseguiu, na província de Inhambane, cerca de 725 votos, tendo ficado em sexto lugar num total de 17 partidos.

15:27

Estão, neste momento, apurados os resultados de 2.091 de 20.554 mesas.Neste momento, a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) conta com 70,39% dos votos. Segue-se a Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) com 22,62%, Movimento Democrático de Moçambique (MDM) com 4,72% e a Ação do Movimento Unido para a Salvação Integra (AMUSI) com 0,29%.

No que respeita à eleição de governadores e assembleias provinciais, a FRELIMO lidera nas províncias de Cabo Delgado, Nampula, Zambézia, Tete e Maputo, sendo que as contagens ainda não chegam a um quinto dos votos.

14:46

Plataforma Sala da Paz acaba de partilhar os resultados das Eleições Gerais e Provinciais em Nacala-Porto. Confira os resultados:

Presidenciais


Filipe Nyusi - 37535
Daviz Simango - 1326
Ossufo Momade - 35315
Mário Albino - 516

Assembleia da República


FRELIMO - 35402
MDM - 1181
RENAMO - 33637
AMUSI - 536

Assembleia Provinciais


FRELIMO - 36440
MDM - 1331
RENAMO - 35810
AMUSI - 570

14:40

Um grupo de 11 partidos extraparlamentares felicitou, esta sexta feira (18.10), o partido FRELIMO e o seu candidato, Filipe Nyusi, considerando-os os virtuais vencedores das eleições presidenciais, legislativas e provinciais da última terça feira (15.10 ). "O povo falou e essa deve ser a decisão eleitoral", afirmou o porta-voz Miguel Mabote, tendo congratulado os moçambicanos por terem mantido a paz e a ordem durante todo o processo eleitoral.

Miguel Mabote, que falava numa conferência de imprensa, deixou também um apelo à FRELIMO: "Que não façam uso da maioria parlamentar para regredir as conquistas democráticas alcançadas pelo país". "Continuaremos vigilantes e estaremos sempre por perto para denunciar e chamar atenção sempre que a FRELIMO se manifestar em sentido contrário da democracia", disse.

Ainda segundo o porta-voz deste grupo, "está provado que a desunião no seio da RENAMO jogou um papel muito importante na derrota esmagadora deste partido que não era desejável".

14:30

Plataforma Sala da Paz acaba de divulgar apuramento dos seus resultados já apurados. Filipe Nyusi segue na frente:

14:15

Em Nampula, a Comissão Distrital de Eleições adiou a divulgação dos resultados preliminares da votação de 15 de outubro, que estava agendada para as 13h desta sexta-feira (18.10). Cerca de trinta minutos após a hora marcada, a diretora do Gabinete de Comunicação e Imagem do STAE provincial, Josina Taipo, anunciou aos jornalistas o cancelamento do encontro, informa o correspondente da DW África naquela província, Sitói Lutxeque. Os profissionais da imprensa dizem-se desapontados, apesar de Josina Taipo ter garantido voltar a contactá-los para um novo encontro, a realizar ainda hoje.

13:45

A presidente da Liga Feminina da RENAMO, no distrito de Zumbo, na província de Tete, Babula Francisco foi raptada e assassinada a tiro, juntamente com o seu esposo, na segunda-feira (14.10). No entanto, só ontem é que os seus corpos foram encontrados, segundo informou Evaristo Tatamo, delegado político provincial da RENAMO.

Babula Francisco era candidata a membro da assembleia provincial pelo partido RENAMO. Segundo o partido, a sua morte tem motivações políticas e é obra dos chamados esquadrões da morte.

A vítima terá sido raptada quando estava a coordenar o processo de distribuição de credenciais pelos delegados de candidatura do partido. Para já o caso ainda não foi participado às autoridades policiais.

Sobre as eleições e o processo de apuramento dos resultados, a RENAMO em Tete não quer para já pronunciar-se.

13:43

O apuramento distrital dos resultados de 15 de outubro no distrito de Manica, província do mesmo nome, dá clara vantagem à FRELIMO e seu candidato presidencial, Filipe Nyusi, em ambos os casos com mais de 70% dos votos. A informação é avançada pela "Sala da Paz" no Facebook.

13:36

Os órgãos eleitorais no distrito de Mecanhelas, maior circulo eleitoral no Niassa, concluíram o processo de apuramento das 144 mesas de votos das eleições de 15 de outubro. A FRELIMO e o seu candidato estão na dianteira das projeções.

Presidenciais:

Filipe Nyusi - 14.972 votos

Ossufo Momade - 11.019 votos

Daviz Simango - 1.577 votos

Assembleia da República:

FRELOMO - 13.996 votos

RENAMO - 10.323 votos

MDM - 1.523 votos

Assembleia provincial:

FRELIMO - 14.438 votos

RENAMO - 10.809 votos

MDM - 1.809 votos

13:31

Quando já estão contabilizados 77 das 81 mesas no distrito de Macomia, em Cabo Delgado, o candidato à presidência da República pela FRELIMO, Filipe Nyusi, amealhou 22.022 votos, Ossufo Momade da RENAMO 3.058, Davis Simango do MDM 809 e Mário Albino do AMUSI 125 votos.

Nas legislativas: FRELIMO 20.232, RENAMO 2.843, MDM 637. Para a Assembleia Provincial: FRELIMO 21.094, RENAMO 3.042, MDM 754 e PAHUMO 168 votos.

O STAE provincial em Cabo Delgado prometeu anunciar os resultados ao nível provincial este sábado (19.10), informa o correspondente na região, Delfim Anacleto Uatanle.

13:00

Dinis Vilankulos, primeiro secretário provincial do partido FRELIMO em Inhambane, disse à DW África que a sua formação política reconhece os resultados preliminares que dão vitória a esta formação política na região.

"Nós temos que agradecer pela vitória e conseguimos acima de 80% dos votos em toda a província de Inhambane. É fruto de muito trabalho e luta pelo bem-estar da população", comentou, acrescentando que os vogais dos partidos da oposição se negaram a assinar os editais mas que isso "não vai impedir a publicação dos resultados", até porque essa recusa "já é tradição".

12:35

Em Nampula, a Comissão Distrital de Eleições vai divulgar às 13:00 desta sexta-feira (18.10) os resultados preliminares da votação de 15 de outubro naquela cidade, de acordo com o Gabinete de Comunicação e Imagem do STAE provincial, informa o correspondente da DW África naquela província, Sitói Lutxeque.

11:49

Em Inhambane, as comissões distritais de eleições estão a proceder esta sexta-feira (18.10) à divulgação dos resultados preliminares do sufrágio. No entanto, 28 vogais da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) e 14 do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) recusam-se a assinar as atas de apuramento e os editais finais com os resultados das eleições de 15 de outubro.

Domingos Gundana, deputado da RENAMO, refere que todos os membros desta formação política receberam orientações para não testemunharem os resultados das eleições que considera fraudulentas. "A orientação vem dos superiores do partido, aqueles que definem os destinos e o futuro da RENAMO. Não podemos aceitar esta fraude grosseira protagonizada pelo regime só para se manter no poder", asseverou ao correspondente da DW África naquela província, Luciano da Conceição.

Segundo Domingos Gundana, "toda a gente viu o que aconteceu nas assembleias e mesas de voto, onde foram impedidos de trabalhar os mandatários dos partidos, observadores, jornalistas e a sociedade civil".

11:23

Na Beira, o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) não reconhece os resultados eleitorais e apela aos órgãos de administração eleitoral a inverter o cenário e a apresentar os resultados verdadeiros.

O secretário geral do MDM, José Domingos, disse esta sexta-feira (18.10) em conferência de imprensa que "como eleitores e cidadãos desta terra declaramos que houve fraude e muitas irregularidades".

O responsável fala num "enchimento organizado" das urnas com a conivência dos presidentes das mesas, membros de observação e autoridades policiais, relata o correspondente no local Arcénio Sebastião.

Para o MDM as eleições "não foram justas, livres e nem transparentes". José Domingos acrescentou que "estas foram as mais violentas e penosas eleições que o país já organizou", criticando a posição expressa pelos observadores internacionais que dizem que processo foi "ordeiro e pacífico".

11:17

A FRELIMO, o partido no poder, já festeja vitória em algumas regiões, como mostram estas imagens recolhidas em Angoche, província de Nampula, partilhadas pela plataforma "Sala da Paz".

11:12

Em Portugal, o Governo exortou esta sexta-feira "todos os atores políticos a contribuir para um clima de paz e estabilidade" em Moçambique, no seguimento das eleições presidenciais, legislativas e provinciais, que se realizaram na terça-feira (15.10). "O Governo Português aguarda a divulgação oficial dos resultados eleitorais e encoraja todos os atores políticos a contribuir para um clima de paz e estabilidade, essenciais para o desenvolvimento do país", lê-se numa nota divulgada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Para o MNE, "apesar de alguns incidentes durante o processo eleitoral, o Povo moçambicano exerceu o seu direito de voto de forma ordeira e com grande civismo e maturidade".

10:32

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM), na província de Inhambane, submeteu esta sexta-feira (18.10) na comissão distrital de eleições na cidade de Maxixe uma declaração de voto vencido como forma de protesto contra os resultados eleitorais de 15 de outubro.

André Alexandre Chambal, segundo vogal do STAE local, declara que não assinou a ata e edital de apuramento distrital devido ao decurso de um processo no tribunal judicial distrital de Maxixe referente a um ilícito eleitoral decorrido na assembleia de voto do bairro Mawewe.

Segundo André Alexandre Chambal, ouvido pelo correspondente da DW África na região, Luciano da Conceição, uma viatura do Estado foi usada para transportar eleitores para os postos de votação, o que constitui fraude eleitoral.

10:11

Segundo a plataforma "Sala da Paz", decorreu na tarde de quinta-feira (17.10), na Sala de Conferências do Distrito de Machanga, a assembleia de apuramento distrital. Confira os resultados a baixo:

Presidenciais

:

- Filipe Nyusi (FRELIMO): 7805 votos
- Daviz Simango (MDM): 1792 votos
- Ossufo Momade (RENAMO): 2086 votos
- Mário Albino (AMUSI): 0083 votos

Assembleia da República

:

- FRELIMO: 7368 votos
- MDM: 1565 votos
- RENAMO: 2058 votos
- AMUSI: 0049 votos

Assembleia provincial

:

- FRELIMO: 7690 votos
- MDM: 1924 votos
- RENAMO: 2360 votos
- PARENA: 126 votos

09:47

O STAE continua a divulgar os dados provisórios relativos às sextas eleições gerais no seu website. Começou a fazê-lo esta sexta-feira (18.10).

Numa altura em que estão apuradas 566 mesas de um total de 20.554, Filipe Nyusi (FRELIMO) continua na frente com 75,88% dos votos. Seguem-se Ossufo Momade (RENAMO) com 20.02% e Daviz Simango (MDM) com 3,14%.

09:01

Ao final da noite de quinta-feira (17.10), o partido no poder, a FRELIMO, publicou na sua página do Facebook um vídeo com um conjunto de imagens que recordam a campanha eleitoral de Filipe Nyusi, Presidente da República e líder daquele partido. No texto partilhado na publicação lê-se que "Humildade e Simplicidade são traços que identificam os militantes da FRELIMO e os Moçambicanos em geral".

Na narração do vídeo, é dito que Nyusi "é um homem simples", "do povo" e "humilde".

08:47

O jornal Mwatengue escreve esta sexta-feira (18.10) que o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) da cidade de Lichinga, na província do Niassa, ainda não concluiu o pagamento de subsídios aos membros das mesas das assembleias de voto (MMVs).

Alberto Balate, observador da Comissão Nacional de Eleições (CNE), entrevistado pelo jornal, admite que metade dos MMVs que compareceram no processo eleitoral na Escola Secundária Paulo Samuel Kankhomba não assinaram contratos com STAE, nem receberam subsídios ou alimentação durante a organização do pleito e apuramento eleitoral.

08:33

O STAE começou esta sexta-feira (18.10) a divulgar os primeiros dados provisórios relativos às sextas eleições gerais no seu website. Os números indicam uma clara vantagem da FRELIMO. Quando estavam processadas apenas 265 mesas, de um total de 20554 para as eleições legislativas, o partido no poder estava em vantagem.

Quanto à eleição presidencial, Filipe Nyusi (FRELIMO) segue na frente com 70,37% dos votos. Em segundo lugar surge Ossufo Momade (24,80%) e só depois Daviz Simango (3.71%).

08:22

De acordo com o jornal "O País", o tribunal de Nampula fixou em 100 mil meticais (quase 1.500 euros) cada uma das cauções pedidas a dois homens detidos no âmbito de um processo de ilícitos eleitorais naquela cidade.

Segundo aquele jornal, os dois homens foram flagrados com boletins de voto a mais no momento em que se dirigiam, separadamente, para as urnas no dia 15 de outubro. Se não pagarem aquele valor, os homens terão de aguardar julgamento sob detenção.

08:00

Segundo informa esta manhã (18.10) a plataforma da sociedade civil "Sala da Paz", a FRELIMOvence no apuramento eleitoral no distrito de Massingir, província de Gaza, com cerca de 99% dos votos.

Dados da contagem distrital dos resultados eleitorais de 15 de outubro colocam o partido no poder em primeiro lugar com 18,637 votos, o que corresponde a 98,5% dos eleitores que votaram. Os outros partidos com mais de um voto são a RENAMO (195 votos), MDM (36), ND (26), PEMO (4) e PT (2).

Segundo a "Sala da Paz", nas eleições presidenciais e provinciais, os resultados obedecem à mesma lógica distributiva.

07:42

Ao final do dia de quinta-feira (17.10), o Centro de Integridade Pública (CIP) publicou um novo boletim sobre o processo político em Moçambique.

O CIP destaca que a União Europeia (UE) fala em desigualdade de oportunidades durante a campanha e enchimento de urnas no ato eleitroal. Apesar desses incidentes, a UE classificou ontem o escrutínio como "bem organizado".

07:17

A Presidente da Assembleia da República (PAR), Verónica Macamo Dlhovo, enalteceu, na sede do Parlamento, em Maputo, o apoio que a União Europeia (UE) tem prestado para o desenvolvimento socioeconómico, cultural e político de Mocambique, em geral, e da Assembleia da Republica, em particular.

Falando aos jornalistas, após o encontro de cortesia que concedeu ao Representante da Missão de Observação Eleitoral da UE, Ignacio Sánchez Amor, a PAR disse que o processo eleitoral, que culminou com a votação realizada no passado dia 15, decorreu sem sobressaltos, e a presença dos observadores europeus garantiu maior transparência e credibilidade do ato.

07:01

A edição desta manhã do jornal "A Verdade"revela que apesar das fraudes, intimidações e várias mortes antes e durante a votação em Moçambique, todos observadores internacionais legitimaram as sextas eleições gerais do país, considerando-as "ordeiras e pacíficas".

07:00

O apuramento eleitoral continua esta sexta-feira (18.10) em Moçambique. Cerca de 13,1 milhões de eleitores moçambicanos estavam recenseados para votarem nas sextas eleições gerais do país na terça-feira (15.10), podendo escolher o Presidente da República, 10 assembleias provinciais e respetivos governadores, bem como 250 deputados da Assembleia da República.

A lei prevê que o anúncio oficial dos resultados seja feito pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) até dia 30, mas o apuramento de cada uma das 11 províncias deve ser conhecido dias antes.

Continuaremos a acompanhar ao longo desta sexta-feira todos os desenvolvimentos da contagem de votos com o apoio da rede de correspondentes da DW África em território moçambicano.

 

Consulte os outros liveblogs sobre as eleições em Moçambique:

- A contagem de votos em Moçambique: o rescaldo eleitoral;

- Eleições em Moçambique: os principais acontecimentos que marcaram o dia do pleito;

por:content_author: Nuno de Noronha, Maria João Pinto, Raquel Loureiro, Nádia Issufo (Maputo), Guilherme Correia da Silva, Delfim Anacleto Uatanle (Pemba), Sitoi Lutxeque (Nampula), Luciano da Conceição (Inhambane), Marcelino Mueia (Quelimane), Stélio Guibunda, Amós Zacarias (Tete), João Carlos (Lisboa), Cristiane Vieira Teixeira (Berlim), Arcénio Sebastião (Beira), Bernardo Jequete (Chimoio), Leonel Matias (Maputo), Carlos Matsinhe (Xai-Xai)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.