"O Brasil terá a oportunidade de desenvolver vertentes importantes da nossa política externa, como, por exemplo, a cooperação com os países africanos de língua portuguesa e com Timor-Leste, que tradicionalmente são grandes parceiros nossos de cooperação e promoção da língua portuguesa", explicou Araújo num vídeo publicado nas redes sociais do Itamaraty.

"Terei a oportunidade de falar e apresentar o nosso projeto de criação do Instituto Guimarães Rosa para a promoção da língua portuguesa e da cultura brasileira no exterior", acrescentou.

O chefe da diplomacia também explicou que deverá abordar outros temas na reunião, como a segurança e a promoção da democracia.

"A CPLP tem também um papel muito importante na promoção da democracia e já organizou missões de observação eleitoral em alguns países e tem sido muito importante na manutenção da democracia nos seus países membros", justificou.

Na mensagem, Araújo não se referiu, porém, ao tema central desta que será a XXIV reunião do Conselho de Ministros da CPLP, em que os representantes dos países do bloco lusófono devem discutir a "Mobilidade como Fator de Coesão e Construção de Cidadania na CPLP".

O evento, que decorre no Mindelo, Cabo Verde, contará com a presença dos ministros dos Negócios Estrangeiros / Relações Exteriores de todos os Estados-membros da organização (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste).

Portugal está representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.