“Ontem (terça-feira) foi ouvido pelo Ministério Público, que pediu prisão preventiva e pelo juiz de instrução. Estamos a aguardar uma decisão”, disse à Lusa o advogado Carlitos Djedjo.

O diretor-geral dos Serviços de Migração, Estrangeiros e Fronteiras, tenente-coronel Alassana Djaló, foi detido pela Polícia Judiciária por alegado envolvimento no desaparecimento de 83 cápsulas de cocaína.

O Ministério do Interior suspendeu na segunda-feira o tenente-coronel, alegando com a “dinâmica que se pretende imprimir na Direção-Geral de Migração e Fronteiras”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.