A vítima, 49 anos, foi baleada na madrugada de terça-feira, quando tentava estacionar o seu veículo no quintal da sua residência no bairro de Namicopo, na periferia da cidade de Nampula, segundo o subinspetor da Polícia da República de Moçambique em Nampula, Dércio Samuel.

Após ser baleada no peito, na frente de familiares, a vítima terá tentado conduzir até o hospital mais próximo, mas não conseguiu chegar a unidade de saúde devido ao ferimento, tendo perdido a consciência durante o percurso, segundo a descrição feita pelo jornal "O País", citando testemunhas.

Segundo o subinspetor da Polícia da República de Moçambique em Nampula, os agentes que terão baleado a vítima estão detidos, mas a motivação do crime "não é clara".

"Foi criada uma comissão de inquérito para averiguar quais terão sido as motivações", disse à Lusa Dércio Samuel.

O funeral da vítima ocorreu hoje e contou com a presença do presidente do Conselho Autárquico de Nampula, Paulo Vanhale.

No domingo, na cidade de Matola, sul de Moçambique, um agente da polícia moçambicana, que também está detido, baleou mortalmente um jovem que estava alegadamente a desobedecer as regras do estado de emergência.

A 06 de julho, um outro caso mereceu atenção também no município da Matola, quando um agente, que não estava em serviço, matou um jovem de 21 anos também alegadamente por violação do estado de emergência.

Em abril, já na cidade da Beira, centro de Moçambique, outros dois agentes da polícia foram detidos suspeitos de espancarem até à morte um homem de 44 anos de idade.

Os três casos, que ocorreram todos durante os quatro meses de estado de emergência em Moçambique, mereceram repúdio por parte de organizações da sociedade civil, que pedem a responsabilização Estado, como prevê a Constituição.

Em junho deste ano, O Tribunal Judicial da Província de Gaza, sul de Moçambique, condenou seis polícias da Unidade de Intervenção Rápida a penas de prisão entre três e 24 anos de cadeia pelo seu envolvimento no homicídio, em outubro de 2019, do observador eleitoral Anastácio Matavel.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.