O líder do Movimento Democrático de Moçambique, o terceiro maior partido do país, disse este sábado (13.07), que a organização está com "fome" de governar nas 10 províncias do país, pedindo ao eleitorado para votar no MDM, nas eleições gerais de 15 de outubro.

"Tenho fome de governar nas províncias, queremos homens comprometidos com a população, homens comprometidos com as nossas crianças", declarou Daviz Simango, falando num encontro popular na cidade da Beira, província de Sofala, centro de Moçambique.

Na ocasião, o líder do MDM apresentou os nomes dos cabeças-de-lista do partido para quartro das 10 províncias do país - sendo um deles dissidente da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) - assegurando que a escolha dos candidatos teve como critério a sua competência e compromisso com a resolução dos problemas do povo.

"Queremos homens comprometidos com uma causa nobre, que é servir o povo moçambicano, pessoas inovadoras e com sentido de responsabilidade", declarou o líder do MDM.

Lista de candidatos

Foram anunciados candidatos do MDM às eleições provinciais até o momento.

José Albano Bulaunde, antigo delegado político provincial de Sofala e que atualmente é deputado da Assembleia da República pela RENAMO, foi indicado esta tarde como cabeça-de-lista pelo MDM a governador da província de Sofala.

No ato de apresentação, Daviz Simango, presidente do MDM, disse que a indicação de Bulaunde é certa, “visto que estamos numa altura em que o país precisa de união de esforços de cidadãos para libertar o país das mãos dos comunistas,” referindo-se ao partido no poder, FRELIMO.

Luís Boavida, deputado do Movimento Democrático de Moçambique, foi o nome escolhido pelo MDM para o governo provincial da Zambézia.

Augusto dos Santos Pelembe, atualmente na Assembleia Municipal da Matola, irá concorrer para governador de Maputo. Para a província de Cabo Delgado, foi indicado o nome de José Adelino.

Os outros dois membros seniores do maior partido da oposição, a RENAMO, que abandonaram o partido da perdiz e filiaram-se ao MDM são Sandura Vasco Ambrósio, deputado pela RENAMO, e Luís Chitato, ex-delegado da cidade da Beira pelo partido RENAMO. Eles também foram anunciados como novos membros do MDM, este sábado.

FRELIMO, uma desilusão

Ainda durante o evento na Beira, Daviz Simango disse que a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), partido no poder, deve ser desalojada, porque tem sido uma desilusão.

"O nosso país tem sido governado durante muitos anos, desde a independência nacional em 1975, pelo mesmo regime. O disco que está a tocar desde 1975 está raspado, está enferrujado", frisou Simango.

As eleições gerais de 15 de outubro próximo vão englobar as presidenciais, legislativas e provinciais, que, pela primeira vez, vão incluir a eleição de governadores das 10 províncias do país.

por:content_author: Agência Lusa, cvt

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.