O líder da RENAMO, principal partido da oposição, Ossufo Momade, distanciou-se dos ataques de que têm sido alvo os civis e a polícia nas províncias de Manica e Sofala, no centro de Moçambique. Ossufo Momade responsabilizou o Estado moçambicano e a junta militar liderada por Mariano Nhongo.

“Já não é da responsabilidade de Ossufo Momade porque quando o Nhongo vinha a público dizer que iria matar Ossufo Momade todos ficavam a rir. Hoje é aquilo que está a acontecer”, afirmou o líder da Renamo.

Para a o Presidente do Conselho das Religiões de Moçambique, o sheik Aminuddin Muhammad, os ataques que se sucederam ao Acordo de Paz e Reconciliação Nacional – assinado a 6 de agosto entre o Presidente da República e o líder da Renamo – resultam da falta de sinceridade entre os políticos.

Que haja sinceridade em todas as partes para que o diálogo traga resultados”, pediu Aminuddin Muhammad.

Neste domingo, centenas de pessoas marcharam na cidade de Tete, no centro do país, em repúdio aos ataques nas províncias de Manica e Sofala.

Oiça aqui a reportagem de Orfeu Lisboa.


Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.