Um novo ataque atribuído a jiadistas provocou ontem a morte de 24 soldados malianos no leste do Mali, indicou o exército maliano no momento em que a França anunciava pesadas derrotas infligidas aos jiadistas este mês.

O exército francês anuncou a morte ou a captura de cerca de 30 jiadistas em novembro durante uma vasta operação conjunta com as forças de Burkina Faso, Mali e Niger nos confins de Burkina Faso e do Mali e durante uma outra operação de comandos franceses no sábado no leste do Mali.

No ataque de ontem tido como um duro golpe ao exército maliano os terroristas jiadistas perderam 17 homens, mortos nos combates de e uma centena de suspeitos foram capturados, declarou o exército maliano. Um soldado francês ficou gravemente feridos na última operação.

Este novo quadro é tido como uma ilustração suplementar da degradação contínua da segurança que alarma a comunidade internacional naquela região e mais largamento no Sahel.

Impotência de forças francesas e da ONU perante jiadistas

Desde a aparição no norte do Mali em 2012, a violência jiadista propagou-se para o centro do país mas também no Burkina Faso e Níger, apesar da presença de forças francesas da missão Barkhane, e regionais com a força conjunta do G5 Sahel envolvendo Mali, Burkina Faso, Níger, Mauritânia e Chade ou ainda da força da ONU, Minusma.

Vários especialistas duvidam da eficácia dos exércitos nacionais e das forças estrangeiras face à propagação da violência jiadista nesses países africanos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.