Segundo a mesma fonte, a visita deverá ocorrer entre 11 e 14 de Setembro.

A agenda da visita dos dois responsáveis da comunidade lusófona está a ser ultimada a nível do Ministério dos Negócios Estrangeiros, da Cooperação e Comunidades guineense.

Em relação a Cabo Verde, a fonte do governo guineense assinalou que Bissau pretende aproveitar a visita de Luís Filipe Tavares para “passar em revista e analisar o estado de implementação” de todos os acordos existentes entre os dois países “e projectar novas possibilidades de cooperação”.

Em julho de 2015, o então primeiro-ministro cabo-verdiano José Maria Neves efectuou uma visita de trabalho durante quatro dias à Guiné-Bissau, tendo assinado vários acordos com o Governo guineense então liderado por Domingos Simões Pereira, nomeadamente no domínio fitossanitário, zoossanitário e uma convenção para evitar a dupla tributação e evasão fiscal entre os dois países.

Na altura, ficou acordado a realização de uma cimeira bianual entre os dois Governos, iniciativa que nunca aconteceu até aqui.

A fonte do Governo guineense destacou ainda a pretensão das autoridades de Bissau em verem debatidas a questão da comunidade emigrada em Cabo Verde, nomeadamente a legalização dos cerca de 10 mil cidadãos da Guiné-Bissau a viver ou a trabalhar naquelas ilhas do atlântico.

Em relação à CPLP, Bissau vai aproveitar a visita do secretário executivo, Francisco Rebelo Telles, para analisar “a melhor estratégia” que possa permitir o reforço da presença da Guiné-Bissau nas iniciativas da organização, enfatizou a mesma fonte.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.