A Polícia da República de Moçambique (PRM) impediu esta semana, em Nampula, a deslocação de cerca de 40 cidadãos devido à suspeita de terem sido recrutados.

"Não cometeram nenhum crime, mas estavam a ser enganados com ofertas de emprego", referiu o comandante provincial da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula, Manuel Zandamela.

Segundo relataram, iam trabalhar para uma empresa, cujo nome não revelaram, dedicando-se à compra de produtos agrícolas, particularmente, gergelim.

Perante a polícia, indicaram o nome de um alegado patrão, numa situação que levantou suspeitas às autoridades.

As pessoas eram, na maioria, jovens do distrito de Moma, na província de Nampula, que faz fronteira a sul com Cabo Delgado.

O grupo acabaria por ser impedido de seguir viagem pela PRM, sendo reencaminhados para Moma.

Manuel Zandamela alerta para o recrutamento de jovens pelo grupo que, só nas últimas duas semanas, já terá matado pelo menos 35 residentes em aldeias de Cabo Delgado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.