Na província de Nampula, as autoridade policiais já conseguiram impedir só neste ano, a ida àquela província de pouco mais de cem pessoas, na sua maioria jovens que se dirigiam com os objetivos não muito claros.

A Assembleia provincial de Nampula alertou na semana passada para casos de recrutamento de jovens no distrito de Moma, o que levou a bancada da Renamo naquele órgão a apelar ao Governo para declarar Estado de Guerra em Cabo Delgado.

Entre 27 de Fevereiro e 3 de Março, a polícia disse ter detido 77 jovens provenientes das províncias de Niassa e Nampula com destino a Cabo Delgado, alegadamente para integrar os grupos de insurgentes.

Quando entrevistados, uns disseram que iam para um estudo bíblico, outros para actividade comercial e procurar trabalho nas minas de Namanhumbir.

O secretário de Estado na província de Nampula, Mety Gôndola, alerta que este não é o momento ideal para se deslocar àquela província devido à desestabilização atual.

“É de domínio de todos a situação que estamos a viver em Cabo Delgado, por isso há necessidade de reforço de medidas de segurança,”disse Gôndola.

Ele disse que não é proibido ir trabalhar em Cabo Delgado, mas o problema é quando vamos em circunstâncias estranhas e duvidosas próximo das zonas em que estão acontecer os ataques.

De referir que grupos de jovens interpeladas em circunstâncias consideradas estranhas em direção a Cabo Delgado estão a ser devolvidos às respectivas famílias e monitorados pelas autoridades.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.