A autodenominada Junta Militar da Renamo indicou o general Mariano Nhongo para a sua liderança, e exige o afastamento de Ossufo Momade a quem chama de traidor do partido.

O antigo Presidente da República defende uma análise profunda às reivindicações da Junta Militar da Renamo, para que toda a resposta a dar, tenha como base em conhecimento real.

“A situação no seio da Renamo precisa ser analisada para ver se há um perigo verdadeiro a paz ou não”.

Chissano, que falava a margem de uma palestra sobre a vida e obra de Eduardo Mondlane,recorda que a existência de divergências de opinião no processo de paz não é algo inédito no país, mas não deve desviar o foco do país, no caminho da paz.

“A situação dentro da Renamo precisa ser bem analisada. É preciso ver se as razões que levam as reivindicações são razões que merecem grande respeito ou não. Se merecem respeito, então o caminho é mesmo de dissuasão pacífica” sugeriu Chissano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.